-->

O que é o Ensino Híbrido? | Educação & Tecnologia | Bloggando

O ensino híbrido, ou blended learning, é uma das maiores tendências da Educação do século 21. Nesse sentido, produzo esse artigo para conhecimento.

Capa

Introdução

Muitas escolas convivem hoje com um método conhecido como “Ensino Tradicional”, e nesse método, o professor é a figura principal, atuando como detentor do conhecimento; e o aluno, acaba atuando como personagem secundário, passivo em todo o processo. 

Escola Tradicional

É um método cotidiano, que certamente muitos têm em mente. Entretanto, o tempo passa, e com o surgimento de novas pesquisas e tecnologias, o processo de aprendizagem tomou novos rumos, com novas metodologias que surgiram e hoje fazem (ou necessitam estar) parte da sala de aula.

As tecnologias hoje tomam conta da nossa rotina, e estão presentes principalmente entre crianças e jovens, que hoje, com o surgimento das novas metodologias de ensino são os principais responsáveis pela tomada de rumo a qual processo de ensino será elaborado, a partir das suas necessidades. Nesse sentido, o ensino híbrido toma lugar de destaque.

Conceituando Ensino Híbrido

Conceitualmente, o significado da palavra híbrido é misturado, mesclado ou blended. A educação desde o início sempre foi híbrida, pois estamos sempre em um processo de aprendizado, mesclando conceitos, métodos, espaços e tempos, pois “Híbrido é um conceito rico, apropriado e complicado. Tudo pode ser misturado, combinado, e podemos, com os mesmos ingredientes, preparar diversos “pratos”, com sabores muito diferentes (BACICH; TANZI NETO; TREVISANI, 2015, p.41)


Ensino Híbrido / Fonte: Freepik

Mas, conceitualmente o termo é melhor definido pelo Christensen Institute, que destaca que
O ensino híbrido é um programa de educação formal no qual um aluno aprende, pelo menos em parte, por meio do ensino online, com algum elemento de controle do estudante sobre o tempo, lugar, modo e/ou ritmo do estudo, e pelo menos em parte em uma localidade física supervisionada, fora de sua residência.
De forma mais clara, no “Online”, o estudante tem total controle sobre seus estudos, podendo escolher da forma que preferir o local por onde irá estudar e tendo o controle de como, quando, onde e tempo para se dedicar aos estudos. Já no "Offline" o ensino é realizado na escola, com o professor direcionando as questões, desenvolvendo o pensamento crítico do alunado, onde todos conectados e compartilhando seus aprendizados entre si e divulgando esses conhecimentos, com o objetivo de elucidar e refletir sobre o assunto abordado, buscando formas criativas para chegar em determinada resposta.
O que a tecnologia traz hoje é integração de todos os espaços e tempos. O ensinar e o aprender acontecem em uma interligação simbiótica, profunda e constante entre os chamados mundo físico e digital. Não são dois mundos ou espaços, mas um espaço estendido, uma sala de aula ampliada, que se mescla, hibridiza constantemente. Por isso, a educação formal é cada vez mais blended, misturada, híbrida, porque não acontece só no espaço físico da sala de aula, mas nos múltiplos espaços do cotidiano, que incluem os digitais. (BACICH; TANZI NETO; TREVISANI, 2015, p.56)

A implementação do Ensino Híbrido

Para a implementação do ensino híbrido nas instituições de ensino, é necessário promover mudanças na: infraestrutura, no currículo, nas práticas pedagógicas e na formação dos professores, que deve ocorrer de forma continuada; e claro, é necessário dispor dos recursos tecnológicos que permitam o ensino virtual de forma adequada e eficaz, saber usar ambos como complementares e interagir uma modalidade com a outra.
Em escolas com menos recursos, podemos desenvolver projetos significativos e relevantes para os estudantes, ligados à comunidade, utilizando tecnologias simples – como o celular, por exemplo – e buscando o apoio de espaços mais conectados na cidade. Embora ter boa infraestrutura e recursos gere muitas possibilidades de integrar atividades presenciais e on-line, muitos professores conseguem realizá-las de forma estimulante com recursos tecnológicos mínimos. (BACICH; TANZI NETO; TREVISANI, 2015, p.59)

O papel do docente

Professor em um ensino híbrido / Fonte: Nova escola

Certamente, não se pode atribuir ao professor todas as responsabilidades para uma implementação ideal do ensino híbrido nas escolas. Mas seu papel é fundamental, pois ele, antes figura central em um ensino tradicional, passa a se tornar um mediador, um facilitador, uma profissional que não dá as respostas, mas auxilia na sua aquisição.

Para que o professor se torne um bom mediador no processo de ensino-aprendizagem e necessário que o docente adote novas habilidades, dentro elas estão:

Aprendizagem constante: E necessário que o professor nunca deixe de pesquisar e adotar novos conhecimentos. Dentre esses conhecimentos estão as novas tecnologias, que hoje constantemente se atualizam e surgem novas formas de tecnologias que podem auxiliar no processo de aquisição de conhecimento

Melhorar a comunicação: processo fundamental na mediação entre professor e aluno, a comunicação e uma ferramente do docente, que constantemente deve ser melhorada e também atualizada. Hoje na área da linguagem temos, por exemplo, a comunicação não violenta, que constantemente e citada na área da educação e busca modificar a forma como nos comunicamos com o outro. Esses processos devem ser estudadas e constantemente aplicadas pelo professor no ambiente escolar (e ate mesmo no dia a dia)

Ser um bom líder: por parte do professor, a liderança em sala e importante. O professor não pode ser temido pelos alunos, e nem odiado. E necessário que o docente saiba guiar os alunos, tornando o processo fácil e amigável, deixando o processo ensino-aprendizado mais fácil, tanto para o professor, quanto para o discente.

Planejar o ensino com base em dados: mais necessário do que criar slides e conteúdos fora do normal, e entender as dificuldades do aluno. Por isso, e sempre conveniente e importante que o professor saiba contemplar uma avaliação diagnostica, sabendo as dificuldades do seu  aluno, e dando desse ponto em diante, o que ele realmente necessita. 

Modelos de Ensino Híbrido

Segundo (BACICH; TANZI NETO;. TREVISANI, 2015), pode-se descrever alguns modelos de ensino híbrido:

Modelo de rotação:

Onde os estudantes revezam as atividades realizadas de acordo com um horário fixo ou orientação do professor. As tarefas podem envolver discussões em grupo, com ou sem a presença do professor, atividades escritas, leituras e, necessariamente, uma atividade on-line.

Dentro deste modelo, estabelece algumas propostas, sendo elas:

  • Rotação por estações:

A Rotação por Estações de Aprendizagem consiste em criar uma espécie de circuito na sala de aula. Cada uma das estações deve propor uma atividade diferente sobre o mesmo tema central - ao menos uma das paradas deve incluir tecnologia digital. A ideia é que os estudantes, divididos em pequenos grupos de 4 ou 5 pessoas, façam um rodízio pelos diversos pontos.

  • Laboratório rotacional:

O modelo de laboratório rotacional começa com a sala de aula tradicional, em seguida adiciona uma rotação para computador ou laboratório de ensino. Os laboratórios rotacionais frequentemente aumentam a eficiência operacional e facilitam o aprendizado personalizado, mas não substituem o foco nas lições tradicionais em sala de aula. 

Ele se assemelha bastante com o modelo de rotação por estações, notando que a diferença para o de rotação por estações é que os alunos fazem rodízio no contexto de uma sala, enquanto que no laboratório rotacional eles vão até o laboratório localizada em outra sala onde terão seu aprendizado on on-line, ou seja, no modelo rotação por estações acontece tudo dentro dana própria sala de aula com tablets ou notebooks sem precisar que os alunos saiam para irem até o laboratório que se encontra em outra sala na escola.

  • Sala de aula invertida:

Sala de aula invertida / Estadão

Neste modelo, a teoria é estudada em casa, no formato on-line, e o espaço da sala de aula é utilizado para discussões, resolução de atividades, entre outras propostas. O que era feito em classe (explicação do conteúdo) agora é feito em casa, e o que era feito em casa (aplicação, atividades sobre o conteúdo) agora é feito em sala de aula.

  • Rotação individual:

Cada aluno tem uma lista das propostas que deve contemplar em sua rotina para cumprir os temas a serem estudados. Aspectos como avaliar para personalizar devem estar muito presentes nessa proposta, visto que a elaboração de um plano de rotação individual só faz sentido se tiver como foco o caminho a ser percorrido pelo estudante de acordo com suas dificuldades ou facilidades.

Modelo flex

Os alunos também têm uma lista a ser cumprida, com ênfase no ensino on-line. O ritmo de cada estudante é personalizado, e o professor fica à disposição para esclarecer dúvidas. Diferente do modelo de rotação, o cronograma de treinamento não é fixo, e sim, personalizado.

Modelo à la carte

O estudante é responsável pela organização de seus estudos, de acordo com os objetivos gerais a serem atingidos, organizados em parceria com o educador; a aprendizagem, que pode ocorrer no momento e local mais adequados, é personalizada.

Modelo virtual enriquecido

Trata-se de uma experiência realizada por toda a escola, em que em cada disciplina (como a de matemática, por exemplo), os alunos dividem seu tempo entre a aprendizagem on-line e a presencial. Os estudantes podem se apresentar, presencialmente, na escola, apenas uma vez por semana.

Benefícios do modelo de Ensino Híbrido

Abaixo, uma lista dos principais benefícios que a implementação de um ensino híbrido pode promover nas salas de aula:
  • Autonomia;
  • Confiança;
  • Enxergam o aprendizado de outra forma;
  • Desenvolvem a resolução de problemas;
  • Profissionais mais qualificados e alinhados com o futuro do trabalho;
  • Tornam-se centro do seu aprendizado;
  • Criatividade.

Referências: 

Sites:

Desenho Institucional
Nova Escola

Livros:

BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F.M.(Org.). Ensino híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 2015.